Por que as pessoas se tornam tão grosseiras em um relacionamento íntimo?

Enquanto as relações são superficiais fica mais fácil manter um bom nível de comunicação, mas na medida em que vai se criando intimidade, é bastante comum perder a linha e partir para a estupidez. As pessoas simplesmente baixam a guarda e deixam que a besta guardada dentro de si, se manifeste. Depois de algum tempo você perde o respeito, começa a colocar o outro para baixo, diz qualquer coisa, ofende, agride e conforme for, parte para a violência física. Assim, você transforma seu amor em um saco de pancadas. Alguns são mais sutis e usam a tática do silêncio, colocando o outro na geladeira, outros fazem greve de sexo, muitos batem a porta, sem contar os que gritam. Tudo para vencer mais uma batalha da guerra que chamam de relacionamento amoroso. Por que isso acontece? Você quer controlar, quer dominar e age assim. Cada um nasce com um temperamento, mais ou menos agressivo, mas muito do que somos é aprendido com os modelos que temos na infância. Os irmãos brigam, numa eterna disputa. Os pais se tratam de qualquer jeito. O desrespeito impera. Uma pessoa que não teve uma boa educação emocional, com certeza se tornará um adulto insuportável. Por isso, todos nós precisamos passar por uma reeducação dos sentimentos. Precisamos entender e lidar melhor com nossa agressividade. Só assim nos tornaremos menos bélicos e mais amorosos.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos(agende uma consulta presencial ou à distância)

Ao radicalizar você não resolve as relações e se isola

Quando digo que você pode ajudar, curando o garoto para ele se tornar um homem, quero dizer que você não deve dar mole à folga masculina. Curar o garoto significa colocá-lo para trabalhar, para colaborar, para se comprometer, para ter palavra. Curar o garoto significa colocar os seus limites, não aceitar qualquer coisa, é construir uma relação decente. E isso se faz na prática e não na teoria. Por exemplo, ainda existem muitas mulheres e mães que de forma automática continuam assumindo  as tarefas domésticas, como se isso fosse natural. É assim que nada muda, é assim que os homens continuam infantis. Como todos nós estamos passando por um período de mudança, é preciso ter paciência com este momento. Ao radicalizar, cobrando o crescimento alheio, sem olhar com autocrítica para si mesmo, você bloqueia qualquer possibilidade de relação. Você fica esperando que as mudanças venham de fora, que caiam do céu, que venham somente do outro lado. E isso não vai acontecer. Ao contrário disso, se  aproveita da própria relação para se colocar de uma nova maneira, mais justa, é possível colher os frutos deste trabalho. Nada vem pronto, é preciso de muita atenção, dedicação, paciência e tolerância para efetivar as mudanças que tanto deseja.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Ajude a curar o garoto e o homem aparecerá

Definitivamente as mulheres estão assumindo o poder. Mas junto deste poder elas também se isolaram. Com toda a razão, chegaram à conclusão de que não gostam de serem dominadas, mas precisam entender que os homens também não gostam. E a forma deles reagirem é se afastando cada vez mais do relacionamento amoroso. Vivemos uma confusão entre o que é considerado politicamente correto em nossa cultura e como as coisas acontecem de fato. E o fato é que homens e mulheres têm suas qualidades, muitas vezes específicas, que devem ser reconhecidas para que haja admiração mútua, atração e amor. Aqui vai uma dica: se você deseja ter um homem ao seu lado, pare de tratá-lo como um menino. Ajude a curar o garoto e o homem aparecerá.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)