Além do ego: a nova ordem

texto de Sergio Savian*

Com as restrições radicais do momento, e não sabemos exatamente até quando isso vai, não é mais possível exercer o seu eu, ao menos da forma habitual. Se você estava acostumado com uma rotina, tem que mudar. Se tinha algumas compulsões, tem que rever. Se cultivava a vaidade, não importa mais. Se você se sentia superior ou inferior, sinto muito, isso é uma ilusão. Estamos todos juntos neste barco. Na verdade sempre estivemos, mas tínhamos dificuldade para perceber. Estávamos iludidos com as promessas do consumo. Achávamos que a felicidade e a infelicidade vinha de fora. Que alguém ou algo iria nos salvar. Estávamos apegados a uma vida superficial. Nos acostumamos a culpar os outros. Negávamos a realidade para vivermos num mundo de faz de conta, irreal. Agora tudo mudou. Você precisa olhar para si, se conhecer, abrir mão do que não serve mais. Ter mais responsabilidade por si mesmo. Colocar luz na própria sombra. Reconhecer seus erros. Parar de projetar os problemas nos outros. Você não pode mais sair por aí de forma irresponsável. Precisa sair da dependência doentia e entender a interdependência saudável. Vai ter que sair do individualismos radical para ser colaborativo. Vai ter que baixar a bola. Você não é nem mais nem menos que ninguém. Em espírito, somos todos iguais. Somos todo um. Este é o desafio. O mundo estava insano, puro ego. Agora é hora da saúde. Hora de cuidar de si em amplo sentido: do corpo, da mente, das emoções, do espírito. Este é um momento muito precioso, o momento da virada. Aproveite!

Se precisar de ajuda fale comigo no Whataspp 11 983839305

*Sergio Savian – psicanalista transpessoal

Ao radicalizar você não resolve as relações e se isola

Quando digo que você pode ajudar, curando o garoto para ele se tornar um homem, quero dizer que você não deve dar mole à folga masculina. Curar o garoto significa colocá-lo para trabalhar, para colaborar, para se comprometer, para ter palavra. Curar o garoto significa colocar os seus limites, não aceitar qualquer coisa, é construir uma relação decente. E isso se faz na prática e não na teoria. Por exemplo, ainda existem muitas mulheres e mães que de forma automática continuam assumindo  as tarefas domésticas, como se isso fosse natural. É assim que nada muda, é assim que os homens continuam infantis. Como todos nós estamos passando por um período de mudança, é preciso ter paciência com este momento. Ao radicalizar, cobrando o crescimento alheio, sem olhar com autocrítica para si mesmo, você bloqueia qualquer possibilidade de relação. Você fica esperando que as mudanças venham de fora, que caiam do céu, que venham somente do outro lado. E isso não vai acontecer. Ao contrário disso, se  aproveita da própria relação para se colocar de uma nova maneira, mais justa, é possível colher os frutos deste trabalho. Nada vem pronto, é preciso de muita atenção, dedicação, paciência e tolerância para efetivar as mudanças que tanto deseja.

Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)

Ajude a curar o garoto e o homem aparecerá

Definitivamente as mulheres estão assumindo o poder. Mas junto deste poder elas também se isolaram. Com toda a razão, chegaram à conclusão de que não gostam de serem dominadas, mas precisam entender que os homens também não gostam. E a forma deles reagirem é se afastando cada vez mais do relacionamento amoroso. Vivemos uma confusão entre o que é considerado politicamente correto em nossa cultura e como as coisas acontecem de fato. E o fato é que homens e mulheres têm suas qualidades, muitas vezes específicas, que devem ser reconhecidas para que haja admiração mútua, atração e amor. Aqui vai uma dica: se você deseja ter um homem ao seu lado, pare de tratá-lo como um menino. Ajude a curar o garoto e o homem aparecerá.
Sergio Savian – psicanalista especializado em relacionamentos
(agende uma consulta presencial ou on line)