Dá pra ser feliz na quarentena?

Esta questão me faz lembrar o filme “A vida é bela”, que conta a história de um pai convivendo com seu filho em meio à segunda guerra mundial. Bombardeios, falta de comida e até lugar pra morar era o cenário da época. Mesmo assim, esse pai mostrava para o filho que o mundo podia ser visto com outros olhos, pois, além de toda a desgraça, ainda restava muita coisa boa pra se ver.
No momento estamos passando por uma espécie de guerra, com muitas restrições, com muitas privações. Diante disso, temos dois caminhos, dois pontos de vista. O primeiro, que nos leva ao sofrimento, é continuar apegado a tudo o que tínhamos antes disso tudo acontecer. Você fica reclamando do que perdeu e ansioso para retomar a vida tal como era antes. Mas, é quase certo que a vida nunca mais será como era antes.
Outra maneira de encarar o momento é aceitar que as coisas são como são. Você entende que seus planos precisam ser revistos e que agora quem determina sua vida não é você. A própria vida está dizendo o que se deve fazer ou não.
Estamos falando em desapego, em jogo de cintura, na capacidade de rever os valores que definem os rumos de nossas vidas.
A ordem agora é clara. O que é sofisticado, luxuoso, supérfluo, perde o sentido. Chegou a vez da simplicidade. Não é hora de alimentar as picuinhas. Não temos esse tempo a perder. Não é hora de lutar contra a rotina, mas fazer com que ela tenha a melhor qualidade possível. Como não podemos mais  nos deslocar, ficamos restritos a poucos movimentos.
Dá para ser feliz na quarentena? Dá sim. Com muita meditação. Isto significa que você aprende a ser muito íntegro em cada momento, que você valoriza cada momento.
Quer um bom exemplo? Faça do seu despertar um lindo ritual. Acordar pode ser um acontecimento incrível. É uma espécie de renascimento! Você vem do mundo onírico, do inconsciente, e passa para o mundo acordado, consciente. Acorde com calma, preste atenção nessa passagem, sente na cama com os olhos fechados e curta esse momento precioso.  Lembre dos seus sonhos, pois eles revelam os melhores caminhos pra você seguir. Aprenda com as imagens dos sonhos. É como se eles fossem uma radiografia, uma tomografia da sua alma. Este é um ótimo momento pra você se conhecer mais. Se prestar atenção nesta passagem verá que isso é incrível, um espetáculo espiritual. Depois destas lembranças, fique um tempo em silêncio, prestando atenção na sua respiração. Preste atenção nos sons que o circundam, na vida que insiste em acontecer ao seu redor. E quando sentir que está em paz, que sua mente está calma, é hora de espreguiçar o corpo, de sentir que tem um corpo, de sentir a respiração profunda, que está vivo. Hora de agradecer e celebrar a vida que ainda está passando por você.
Faça disso um belo ritual. Comece o dia assim, com o frescor de uma nova vida.  Comprometendo-se em vivê-la muito bem, pois não sabe até quando ela estará aí.
E tenha uma ótima quarentena!

Sergio Savian – psicanalista (agende uma consulta online pelo Whatsapp 11 98383 9305)

Até quando você vai se boicotar?

Todos nós somos únicos, em nossos talentos, qualidades e até em nossos defeitos.
No desejo de pertencer à media, não reconhecemos quem realmente somos.
Ora você se sente superior, ora inferior, numa eterna e infeliz comparação.
Desta maneira você se boicota, perdendo o precioso tempo de vida, focado na opinião alheia, fazendo de tudo para se encaixar nos padrões de normalidade exigidos pela família, pelos vizinhos, pela sociedade.
Enquanto isso, o ouro que carrega dentro de si, que é o seu talento nato, fica escondido, esperando que seja descoberto.
Somente quando você tiver a coragem de se desvencilhar do pensamento comum e olhar para dentro de si, é que encontrará sua valiosa unicidade.
E é a partir daí, que você poderá desenvolver seus potenciais, e com muita alegria e sentimento de realização, trabalhar para que sua vida e este mundo se tornem melhores.

Sergio Savian é psicanalista especializado em relacionamentos. Mais informações sobre seu trabalho e ideias no www.sergiosavian.com.br

Além do ego: a nova ordem

texto de Sergio Savian*

Com as restrições radicais do momento, e não sabemos exatamente até quando isso vai, não é mais possível exercer o seu eu, ao menos da forma habitual. Se você estava acostumado com uma rotina, tem que mudar. Se tinha algumas compulsões, tem que rever. Se cultivava a vaidade, não importa mais. Se você se sentia superior ou inferior, sinto muito, isso é uma ilusão. Estamos todos juntos neste barco. Na verdade sempre estivemos, mas tínhamos dificuldade para perceber. Estávamos iludidos com as promessas do consumo. Achávamos que a felicidade e a infelicidade vinha de fora. Que alguém ou algo iria nos salvar. Estávamos apegados a uma vida superficial. Nos acostumamos a culpar os outros. Negávamos a realidade para vivermos num mundo de faz de conta, irreal. Agora tudo mudou. Você precisa olhar para si, se conhecer, abrir mão do que não serve mais. Ter mais responsabilidade por si mesmo. Colocar luz na própria sombra. Reconhecer seus erros. Parar de projetar os problemas nos outros. Você não pode mais sair por aí de forma irresponsável. Precisa sair da dependência doentia e entender a interdependência saudável. Vai ter que sair do individualismos radical para ser colaborativo. Vai ter que baixar a bola. Você não é nem mais nem menos que ninguém. Em espírito, somos todos iguais. Somos todo um. Este é o desafio. O mundo estava insano, puro ego. Agora é hora da saúde. Hora de cuidar de si em amplo sentido: do corpo, da mente, das emoções, do espírito. Este é um momento muito precioso, o momento da virada. Aproveite!

Se precisar de ajuda fale comigo no Whataspp 11 983839305

*Sergio Savian – psicanalista transpessoal