GESTOS E POSIÇÕES CORPORAIS QUE INDICAM SE UM ENCONTRO AMOROSO ESTÁ SENDO OU NÃO BEM SUCEDIDO

Entrevista de Sergio Savian* para o Portal UOL

Antes de tudo precisamos entender que a linguagem corporal é de enorme importância na hora da conquista e mesmo no decorrer das relações já estabelecidas. Isto porque os bons relacionamentos exigem inteligência emocional e esta está intimamente ligada à inteligência corporal. Explico melhor. Ao se basear somente nas palavras, não conseguindo detectar as entonações, o olhar, o que o corpo diz, você perde toda a subjetividade das relações. O amor, o romance e a conquista não acontecem em linha reta, de formas matemática e lógica. Vai melhor aqueles que entendem a sutileza dos gestos.
Para desenvolver a inteligência corporal e ter uma boa leitura neste sentido é preciso que você, além do intelecto, desenvolva sua expressão. Pessoas que ficam muitas horas por dia em frente ao computador, costumam ser inexpressivas. Já os que dançam, cantam, frequentam a praia, curtem a natureza, desenvolvem um corpo mais vivo, expressivo e como consequencia, fazem uma boa leitura corporal dos outros. Por isso, comece sempre por você mesmo, trabalhando e se divertindo com seu corpo!
Outro aspecto muito importante para o desenvolvimento da leitura corporal, é a intuição. A linguagem do corpo não obedece uma lógica. É mais parecida com a linguagem dos sonhos ou outras linhagens analógicas, como da arte, por exemplo. Por isso, quanto mais você desenvolve a intuição, melhor será sua capacidade tanto de expressar-se como de compreender a expressão corporal dos outros.

1) O que pode ser observado em relação ao olhar? Por exemplo, quando um olha dentro do olho do outro, é sinal que estão ligados, conectados, caso contrário, não.
O olhar diz muito de quem a pessoa é. É uma das partes do corpo que menos consegue disfarçar. Existem olhares diretos, duros, indiferentes, olhares de inveja, de acusação, olhares mansos, tímidos, autoconfiantes, sensuais, amigáveis, ternos, amorosos e muitos outros. Com o olhar você pode conversar, contar o que sente, falar de suas intenções. Você pode metralhar alguém com seu olhar, pode ser sutil, brincar. São tantas formas de olhar que ele se torna um poderoso instrumento na hora da conquista. Desenvolver a arte de olhar é meio caminho andado para uma boa conquista e bons relacionamentos.

2) Em relação ao sorriso, como saber se ele é sincero e feliz ou se é “amarelo”?
Um sorriso, quando vindo do fundo da alma, pode ser sentido imediatamente. Um sorriso sincero nos contamina, enquanto um sorriso amarelo sempre nos deixacom a sensação de que tem algo errado. O sorriso espontâneo é sempre acompanhado com um olhar no mesmo sentido. Quando o é sorriso falso, não há brilho no olhar. Hoje em dia, com tantos “selfies” as pessoas estão praticando o sorriso teatral, mas no encontro real, cara a cara, este sorriso não consegue ser mantido por muito tempo. E tudo o que é fabricado, não é autêntico, e não funciona. 

3) Se um primeiro encontro não termina em um beijo, ou num caminhar de mãos dadas, por exemplo, isso é mal sinal?
Fomos nos acostumando a querer tudo imediatamente e assim perdemos a essência do encontro. Os relacionamentos são processos e quanto mais compreendermos isso, melhor será a qualidade dos mesmos. Se você quiser ir direto ao ponto, quando é muito objetivo, corre o risco de acabar logo com a conversa. Por outro lado, se for muito devagar, pode perder a oportunidade. O toque de mãos, a aproximação corporal, o abraço, o beijo, tudo isso, quando é feito com um bom timing, faz crescer a carga libidinal e o vínculo, dando mais consistência ao encontro. Para tanto, os dois precisam estar de acordo com a progressão do contato. 

4) Em relação aos braços, o que seu posicionamento pode revelar em um primeiro encontro? Por exemplo, braços cruzados e expressão fechada? 
Braços e mãos costumam guardar muita timidez. Você não sabe o que fazer com eles. É por isso que muita gente cruza os braços, fuma, bebe ou mesmo não larga o celular, sempre ocupando as mãos. No entanto, se conseguirmos liberá-los das repressões, eles podem ser belos instrumentos de expressão e amor. 

5) A posição das pernas e/ou dos pés pode revelar algo também? Explique.
Pés e joelhos apontados para dentro indicam introversão, quando apontados para fora, extroversão. Sentar-se com as pernas muito abertas indica que você é bem espaçoso. As pernas muito fechadas pode indicar repressão sexual. O jeito que você caminha reflete a maneira de encaminhar sua vida. Algumas pessoas andam como generais, outras arrastam seus pés, como se estivessem sempre cansadas.

*Sergio Savian é psicanalista e psicoterapeuta corporal especializado em relacionamentos. Saiba mais sobre seu trabalho em www.sergiosavian.com.br

Tipos de abraços

Por Sergio Savian

Abraçar é uma das melhores coisas da vida. Há quem diga que alguns abraços por dia faz toda a diferença em sua saúde emocional. Por isso, não economize! Abrace e seja feliz!

Seguem alguns tipos de abraços:

Apertado: Um abraço apertado está relacionado com a manifestação de um querer bastante intenso. É usualmente praticado por quem está apaixonado ou por quem ama intensamente.
Com tesão: É um abraço que conecta o desejo sexual com o coração e por isto está carregado de muita energia. Se, junto deste abraço, você usar as mãos para acariciar o corpo da outra pessoa, a carga erótica se espalha gerando o sentimento do êxtase sexual.
Com uma perna levantada: É aquele abraço que vemos em filmes românticos antigos, quando a moça abraça, beija e levanta uma perna para trás (de preferência como sapato de salto alto), evidenciando que o momento é realmente especial.
De todo o corpo: É aquele abraço que faz contato com cada parte do corpo, quer seja o peito, a pélvis, as pernas, o rosto, as mãos. É um abraço muito envolvente, com alto grau de entrega.
Formal: Vem acompanhado com tapinha nas costas. Costuma ser rapidinho e sem envolvimento. É um abraço burocrático.
Apaixonado: É um abraço bem apertado, peito no peito, como se os dois quisessem se fundir num só.
Entre homens: É um abraço rapidinho, sem encostar muito, com tapinha nas costas e muito medo de parecer alguma outra coisa.
Ecológico: Existem pessoas que aprenderam a abraçar árvores para captarem a energia que vem delas. Um abraço ecológico importante foi o que aconteceu em torno da Lagoa Rodrigo de Freitas no Rio de Janeiro, com a participação de milhares de pessoas que manifestaram seu carinho pela lagoa que foi tão maltratada nos últimos tempos.
À distância: É aquele abraço por e-mail ou por telefone.
Grupal: É uma delícia. Um abraço de várias pessoas que se juntam para experimentar o néctar do encontro especial.
Tântrico: É um abraço de corpo inteiro quando os dois se diluem em um contato sem tempo certo para terminar. É a entrega total.
Medroso: É um abraço rapidinho, com o afastamento da pélvis para evitar qualquer contato que pareça algo sexual. É um abraço pela metade.
Trenzinho: Ocorre nas baladas, quando várias pessoas se abraçam por trás, enquanto dançam.
Apático: É um abraço sem graça, sem vitalidade.
Desengonçado: Um abraço cheio de tensões, vergonha e rigidez.
Sedutor: Um abraço que visa despertar o tesão na outra pessoa.

Conheça o trabalho de psicoterapia corporal com Sergio Savian. Agende uma sessão no telefone 011 2368-9305 ou escreva para atendimento@sergiosavian.com.br